Segundo estudo (do Google), YouTubers são mais influentes que jornalistas no Brasil

YouTubers já são mais influentes que jornalistas no Brasil. Esta afirmação, em formato do título acima (e desculpe o plágio bem intencionado), estampa um artigo do tipo opinião de André Azevedo da Fonseca, professor e pesquisador da Universidade Estadual de Londrina publicado no Huffpost (veja aqui).

Tive acesso ao link do artigo por meio da newsletter Youpix Ideas, uma espécie de digesto que reúne artigos publicados em diversos espaços. Digestos, ou digest, são clippings comentados e que tiveram um renascimento nas redes sociais e agora por email – o digesto, ou newsletter, “Meio” tem feito muito sucesso.

O professor André Azevedo da Fonseca, ele também um youtuber, tem 47.572 inscritos em seu “canal de Educação, Comunicação e Ciências Humanas”. A afirmação do título do seu artigo está baseada em um relatório do Google chamado “Creators Connect: o poder dos youtubers” (aqui) . Este estudo é assinado por profissionais do mercado que trabalham no Google: Sergio Melo, insights manager e Antonio Abibe, account manager.

O relatório utiliza dados de uma pesquisa do Google Consumer Survey (26 de julho de 2018, não especifica o universo abrangido nem quantas pessoas foram ouvidas). Em uma das afirmações do estudo do Google, empresa controladora do YouTube, é feita a seguinte pergunta: “Quem mais influencia sua opinião?”. As respostas foram as seguintes:

Família: 43,1%
Amigos: 34,8%
YouTubers: 20%
Jornalistas e notícias: 19,1%
Influenciadores do Instagram: 9,6%
Celebridades de TV: 6,8%

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *