A era de ouro dos podcasts no mercado digital

Não há como negar que o podcast vem sendo uma grande ascensão entre os brasileiros em 2019. Segundo o IBOPE 40% dos brasileiros já escutaram algum programa de áudio. Se basearmos nos EUA, por exemplo, entenderemos o porquê de o formato possuir um grande potencial, segundo um estudo das empresas Interactive Advertising Bureau – IAB (Estados Unidos) e PwC, O formato de podcast proporcionou uma evolução anual em receita na publicidade nos Estados Unidos, passando de 34% em 2017, para 53% em 2018. Atingindo o recorde de US$ 479 milhões. Para 2019 não será diferente, a tendência é que a publicidade atinja 42%, alcançando uma receita de US$679 milhões.

São diversos motivos para considerar podcast em seu mix de marketing, alguns dos motivos para o investimento no streaming de áudios são: audiência cativa, segundo a Associação Brasileira de Podcasts (ABPOD), mostra que mais da metade de todos que ouvem podcast fazem isso diariamente, isso mostra a fidelidade do público para esse formato, pois além de conseguir ouvir assuntos que são de seu interesse, o formato tem a praticidade para aprendizado e absorvição de informações em qualquer lugar, seja se locomovendo, realizando atividades físicas ou domésticas.

Esse tipo de formato possibilita a humanização e credibilidade da marca para engajar com sua audiência através de assuntos interligados do conteúdo a sua marca ou produto. O seu poder de influência perante seu público é alto, segundo a Audio.ad , 63% dos ouvintes de Podcast compraram algum produto ou serviço anunciado em programas. Além disso, ao contrario de outros formatos dentro do universo online, o podcast consegue prender a atenção criar conexões mais profundas  com sua audiência, através do contato com a voz, entusiasmo, na forma de falar e efeitos sonoros.

Obviamente, atentas a esse movimento do mercado, diversas marcas já iniciaram estratégias para atender essa nova demanda, como foi o caso do Spotify, Google, Marvel e TV Globo.
O Spotify disponibilizou o formato de podcast para o aplicativo em 2018 e recentemente liberou um recurso de segmentação voltado para esses consumidores que facilitará o direcionamento de anúncios para usuários que ouviram podcasts em diferentes categorias.

Já o Google, seguindo a mesma linha lançou o Google – Podcasts no ano passado, com os principais podcasts divididos nas seguintes categorias: Comédia, Sociedade e cultura, Notícias e política, Artes e mais. Também seguindo a tendência, a Marvel que inspirou o lançamento de muitos quadrinhos, teve seu primeiro podcast dramático lançado no dia 12 de março de 2018, “Wolverine – The Long Night”. Por fim, outro exemplo é o maior veículo de comunicação quando se fala em TV aberta, a Rede Globo, começou a investir em podcasts de forma estratégica através do Globoesporte.com com diversos programas diários.

Com o exemplo dessas empresas citadas acima, ficou claro que as oportunidades em publicidade para podcast tende a crescer cada vez mais para os anunciantes. Sendo assim, irei mencionar alguns formatos e suas peculiaridades para a comercialização:

Spots de áudio: São os tradicionais spots de 30 segundos, formatos bastante utilizados em rádio, que podem ser inseridos antes, durante ou no final do programa;

Testemunhais: Formato gravado pelos locutores do programa que aparecem no meio do episódio e geralmente têm entre 1 e 2 minutos de duração;

Programa temático (patrocinado): Formato no qual um programa inteiro é feito com base em um tema ou roteiro passado pelo anunciante;

Programa do cliente: Quando uma marca realiza seu próprio conteúdo em podcasts e disponibiliza em seus canais digitais. Neste caso, há um grande trabalho da marca para aumentar a audiência para o seu conteúdo;

Segundo o IBOPE o consumo de podcast acontece na maioria das vezes pelo Smartphone (75%), seguido do desktop (40%) e por fim o tablet com (8%). Em relação à frequência com que costumam ouvir, 19% dos entrevistados ouvem podcast três vezes ou mais na semana, enquanto 13% ouvem uma vez por semana, 11% duas vezes por semana. O YouTube (42%) e o Spotfy (32%) são os aplicativos mais usados para ouvir podcast. Tendo em vista os aspectos observados, mercado de podcast tem grande potencial para evolução e consequentemente as marcas, agências e marqueteiros precisarão se adaptar para esse novo consumo de mídia.

Foto: NeONBRAND / Unsplash

Este artigo apareceu primeiramente no Jornal 140.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *